Gestão de proteção radiológica: um jeito simples e descomplicado de fazer com o GPR

Webinar da Sapra Landauer apresentou as principais funcionalidades do Gerenciador de Proteção Radiológica (GPR) 

Como o uso do Gerenciador de Proteção Radiológica (GPR) pode ajudar na gestão da proteção radiológica de uma instituição? Esta é a pergunta que direcionou o Webinar de proteção radiológica promovido pela Sapra Landauer no último mês. O evento contou com a participação de especialistas no assunto, clientes e parceiros.

Na abertura, a física e diretora-presidente da Sapra Landauer, Dra. Yvone Mascarenhas, destacou a importância para a sociedade de uma educação voltada à cultura de proteção radiológica. Ela agradeceu também a presença do mediador, físico e diretor da Sapra Landauer, Paulo Mascarenhas, e dos palestrantes da Equipe GPR da Sapra, Marcos Geromini, analista da Sapra Landauer, e Eurides Anselmo e  Paulo Rogerio Machado, responsáveis pelo desenvolvimento e manutenção do sistema.

Cultura de proteção radiológica

A Sapra promove em média quatro webinars de divulgação por ano, com o objetivo de ressaltar a importância da proteção radiológica. Durante o evento, a física, dra Yvone destacou o fato de o webinar estar de acordo com a missão da empresa, constituída há mais de 40 anos, que é atender as necessidades dos clientes, assessorando-os continuamente na área de proteção radiológica, com respeito, qualidade e profissionalismo.

“A proteção radiológica só existe quando é possível promover uma mudança de cultura nos locais em que se faz uso de radiação ionizante”, pontuou a Dra. Yvone. “O controle não é algo fácil, exige que todos os envolvidos se conscientizem do fato de que a proteção radiológica é necessária para garantir um ambiente seguro a todos, incluindo público, pacientes e trabalhadores da indústria”, esclareceu.

Evolução

Em 1999, o GPR da Sapra Landauer funcionava somente na versão desktop, depois evoluiu para online (2011), responsivo – mobile (2015), assinatura eletrônica digital (2019) e paperlesswishlist (atual). Segundo a Dra. Yvone, o número de consultas/ano no sistema saltou de 1,5 milhão em 2018 para 2,7 milhões em 2020 – e não para de crescer.

Controle total

Na sequência, Marcos Geromini, do setor de Tecnologia da Informação, fez a apresentação dos principais módulos do GPR para o público participante. A princípio, ele sublinhou o fato de o sistema estar de acordo com as regras da LGPD – Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018), isto é, com relação ao cuidado com os dados recebidos e aspectos como privacidade, segurança, confiabilidade, confidencialidade e ética, entre outros pontos.

Geromini explicou que o desenvolvimento do GPR foi concebido a partir das perguntas mais comuns dos clientes, relatadas nos canais de comunicação da Sapra Landauer. E mostrou as respostas para questionamentos como “Preciso urgente de um relatório específico de um mês. E agora?”, “Quais monitores ainda não devolvi?”, “Quero receber o histórico de doses de um colaborador, é possível?”, entre outros.

Disponibilidade permanente

Geromini esclareceu que o gerenciamento de usuários do sistema de GPR desenvolvido pela Sapra garante controle total sobre quem faz o quê, de acordo com as permissões concedidas. Há ainda a parte de logística, que faz todo o envio e recebimento de monitores. O GPR possibilita controles de acesso aos relatórios sobre dose mensal, anual, por usuário, entre outras inúmeras possibilidades.

O sistema é projetado para facilitar o trabalho como um todo. Permite fazer a gestão de uma ou mais unidades por um ou mais responsáveis e oferece um conjunto de relatórios, consultas e exportações. Os dados e informações são atualizados diariamente e a disponibilidade de acesso é de 24 horas por dia, 365 dias por ano. A tecnologia empregada é compatível com os principais browsers e dispositivos usados e as funcionalidades ficam disponíveis de acordo com o perfil do usuário logado no sistema.

Possibilidades

De acordo com o perfil do usuário, é possível fazer tarefas específicas ligadas à proteção radiológica. Se for diretor geral, físico ou pessoa autorizada pelo responsável, tem acesso à coleta de dados, histórico de doses, dose acumulada, dose anual, usuário com doses, dados de doses no formato CSV, envio e recebimento, monitores não devolvidos, controle de devolução, gerenciar usuários, solicitação de monitores – listagem escola.

Outra informação importante, informou Eurides Anselmo, da seção de TI da Sapra Landauer, diz respeito ao primeiro acesso no GPR. Esta etapa de criação do perfil ocorre após a solicitação da chave de acesso e validação das informações previamente incluídas no cadastro de prestação de serviços. “São questões sensíveis, este é o motivo desse cuidado”, explicou Anselmo.

Central de Ajuda

Anselmo informou sobre o conjunto de vídeos explicativos de treinamento com até dois minutos de duração que ficam disponíveis na Central de Ajuda depois do usuário fazer login no sistema GPR. A proposta desses vídeos é explicar sucintamente como utilizar cada módulo do sistema. Comentou também sobre a importância da atualização da base de dados do cliente na Sapra Landauer, citando como exemplo as situações em que o responsável pelo GPR é substituído.

Após as exposições dos palestrantes, foi aberta ao público a parte de perguntas do webinar. Uma delas foi a da participante Lázara, que questionou o fato dela agora ser responsável por gerenciar a devolução dos dosímetros e não saber como fazer. Paulo Mascarenhas respondeu que esse trabalho é todo realizado pela internet, ficando a tarefa ainda mais rápida se o usuário tiver um leitor óptico, sendo este um facilitador adicional do trabalho para empresas com grandes volumes de monitores.

Veja também o Webinar da Proteção Radiológica na Veterinária, realizado pela Sapra Landauer.

 

Gestão da proteção radiológica com Gerenciador de Proteção Radiológica (GPR) é tema de webinar da Sapra

Evento online será no dia 12/08 e tem foco nas vantagens de uso de um sistema online para melhoria dos processos em instituições usuárias de serviços de dosimetria

Preencha o formulário e complete sua inscrição no fim da página

A Sapra Landauer realiza no dia 12 de agosto, às 15h, o webinar “Como o uso do GPR pode ajudar na gestão da proteção radiológica de sua instituição”. As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas aqui.

O evento visa apresentar a importância e os benefícios do Gerenciador de Proteção Radiológica (GPR), sistema online da Sapra Landauer que permite o gerenciamento dos indivíduos monitorados e principalmente consultar seus dados de maneira rápida e com atualização diária.

A proposta do GPR é facilitar e otimizar o trabalho de profissionais responsáveis pela área de proteção radiológica em instituições usuárias do serviço de dosimetria pessoal de radiações, como hospitais, clínicas, indústrias e laboratórios de pesquisa.

O sistema permite ao responsável, por exemplo, consultar doses mensais e acumuladas por usuário, por grupo de usuários por setor e por instituições afiliadas, além de acompanhar a logística de envio e recebimento dos monitores, efetuar alterações, inclusões e exclusões de usuários no sistema e consultar os relatórios de doses mensais, acessíveis assim que analisados e gerados na base de dados da Sapra Landauer, entre outras funcionalidades.

“Nossa proposta é reunir profissionais da área interessados em atualizar conhecimentos, ter acesso a informações técnicas qualificadas e tirar dúvidas sobre o GPR”, afirmou Paulo Mascarenhas, físico e diretor da Sapra Landauer.

O webinar terá a participação da física e diretora-presidente da Sapra Landauer, Dra. Yvone Maria Mascarenhas, e dos especialistas Marcos Geromini, analista da Sapra Landauer, e Eurides Anselmo Queiroz, desenvolvedor do sistema GPR.

Para mais informações, ligue (16) 3362-2700 / SAC (Gratuito) 0800-055-3567.

Serviço

Webinar – “Como melhorar a gestão da proteção radiológica em sua instituição”
Quando: 12 de agosto de 2021
Horário: 15h
Inscrições: https://app.livestorm.co/sapra-landauer/uso-do-gpr

Inscreva-se por aqui

Sapra Landauer e ABRV oferecem webinário “Proteção Radiológica na Radiologia Veterinária”

Evento em parceria com a Associação Brasileira de Radiologia Veterinária (ABRV) trata de proteção radiológica com foco em profissionais e instituições do setor

Preencha o formulário e complete sua inscrição no fim da página

A Sapra Landauer e a Associação Brasileira de Radiologia Veterinária (ABRV) realizam o webinário “Proteção Radiológica na Medicina Veterinária”, no próximo dia 14 de abril, às 20 horas. O evento é online, gratuito e tem o objetivo de apresentar melhores práticas de proteção e outras informações de interesse de profissionais e instituições do setor.

As palestrantes irão expor um panorama sobre a evolução dos métodos e processos de monitoramento de doses de radiação na área veterinária, além de detalhar e discutir as melhores práticas a serem seguidas por indivíduos ocupacionalmente expostos, incluindo médicos veterinários e seus assistentes.

O webinário contará com uma apresentação da física e diretora-presidente da Sapra Landauer, Dra. Yvone Maria Mascarenhas, que ministrará palestra intitulada “Um olhar sobre a proteção radiológica na Medicina Veterinária pela perspectiva da monitoração pessoal”, considerando a evolução das doses recebidas por profissionais desse setor no Brasil.

O evento terá também a participação da Dra. Simone C. Monteiro Dallagnol, médica veterinária atuante nos Estados Unidos. Em sua exposição, ela irá compartilhar experiências em melhores práticas na proteção radiológica utilizadas no BluePearl Specialty Hospital, onde atua desde 2018 como technician do departamento de radiologia, realizando exames de ultrassom, tomografia, radiografias e ressonância magnética.

Fundada em 1992, a ABRV é uma associação de médicos veterinários dedicada à representação profissional e ao intercâmbio científico sobre temas relacionados ao uso de métodos de diagnóstico por imagens e de terapias por radiações em animais.

Sobre as inscrições

Para participar do webinário online, é necessário se inscrever. São apenas 150 vagas.
A Sapra Landauer disponibilizará a gravação do evento em seu website futuramente.

Em caso de dúvidas, entre em contato pelos números abaixo:

Telefone: (16) 3362-2700
SAC (Gratuito) 0800 0 553 567

 

Inscreva-se por aqui

Sapra Landauer conclui transmissão da série de webinares “Conhecendo a RDC nº 330”

A Sapra transformou em três webinares as palestras que seriam ministradas no VI Encontro Técnico de Proteção Radiológica e as transmitiu do dia 26 de março, 2 e 9 de abril

A Sapra Landauer encerrou na última quinta-feira, dia 9 de abril, a série de webinares do VI Encontro Técnico de Proteção Radiológica: “Conhecendo a RDC nº 330″. A última palestra foi ministrada pela física Yvone M. Mascarenhas, diretora-presidente da Sapra, reunindo aproximadamente 150 participantes, online.

Em respeito a seus colaboradores e parceiros e acatando a determinação das autoridades de saúde de afastamento social como medida de enfrentamento da pandemia de Covid-19, a Sapra transformou em webinares as palestras que seriam ministradas no evento presencial, marcado para o dia 19 de março, em São Paulo, e as transmitiu em três quinta-feiras, dia 26 de março, 2 e 9 de abril. 

A RDC nº 330 revogou a Portaria SVS/MS nº 453, de 1º de junho de 1998 e a Resolução Anvisa/RE nº 1016, de 3 de abril de 2006, e discorre sobre as diretrizes básicas de proteção radiológica em radiodiagnóstico médico e odontológico e sobre o uso dos raios-x diagnósticos em todo território nacional. Esta RDC se aplica a clínicas, hospitais e demais serviços, seja ele público ou privado, civil ou militar, que prestem serviço de radiologia diagnóstica ou intervencionista, fabriquem ou comercializem equipamentos de radiologia, e instituições de ensino e pesquisa. A atualização é importante, porque os estabelecimentos abrangidos por ela terão o prazo de 12 meses, a partir da data da publicação, que foi dia 26 de dezembro de 2019, para se adequarem às determinações previstas. O descumprimento acarretará infração sanitária, nos termos da Lei nº 6.437, de 20 de agosto de 1977.

A primeira webinar contou com a palestra da física Shirley Fujisawa Okuno e o tema foi “Regulação em Radiodiagnóstico”. Ela abordou a atuação da Vigilância Sanitária do Estado em relação a radiações ionizantes.  O evento, no dia 26 de março, também teve a participação da física Yvone Maria Mascarenhas, que falou sobre estruturação da regulamentação da RDC nº 330 e os impactos positivos da Portaria nº 453 da ANVISA, que a precedeu.  A webinar reuniu cerca de 35 clientes e não clientes da Sapra Landauer, durante uma hora de duração, aproximadamente. 

Já a segunda webinar, no dia 2 de abril, teve como destaque a palestra da física Denise Yanikian Nersissian, cujo tema “Abordagem geral da RDC nº 330” reuniu quase 40 participantes de vários locais do Brasil, clientes e também não clientes. Ela fez uma abordagem geral da resolução,  dando ênfase principalmente nas mudanças na área da saúde. Antes de sua palestra, eles acompanharam uma introdução ao tema apresentada pelas físicas Yvone Maria Mascarenhas e Maria de Fátima Magon.

Encerrando a série, Yvone M. Mascarenhas ministrou a palestra “RDC no 330 sob o aspecto da proteção radiológica”, no último dia 9 de abril, reunindo cerca de 150 participantes. A física e vice-presidente da Sapra Landauer abriu sua explanação com um pequeno resumo das duas palestras anteriores e, em seguida, falou aos participantes, focando nas principais diferenças entre a Resolução nº 330 e a Portaria nº 453 da ANVISA.

Durante as três webinares os participantes  elogiaram a iniciativa da Sapra Landauer e demonstraram bastante interesse nos temas, tirando suas dúvidas e encaminhando perguntas que, ao final,  foram respondidas pelas físicas. Eles também apresentaram sugestões de outros temas a serem abordados futuramente.

Na avaliação do físico e diretor da Sapra Landauer, Paulo Mascarenhas, foi uma iniciativa bastante positiva e de muito retorno, já que, com ela, a Sapra conseguiu reunir  participantes de vários locais do País.

Clique aqui para assistir os webinares gravados.

PhyMED promove IV Curso de Extensão em Hemodinâmica

A PhyMED – Consultores em Física Médica e Radioproteção, com apoio da SBHCI e Sapra Landauer, promove, nos dias 28 e 29 de novembro, das 13h às 18h, o IV Curso de Extensão em Hemodinâmica, na Associação Médica do Rio Grande do Sul (AMRIGS), em Porto Alegre (RS).
Com o objetivo de contribuir para o processo de otimização das doses ministradas a pacientes e equipes técnicas durante procedimentos de cateterismo, o curso é voltado para profissionais que atuam em laboratórios de hemodinâmica.

“No cenário nacional dos últimos anos surgiram muitos casos de lesões de pele (queimaduras) em pacientes devido à radiação, chegando a casos de radiodermite e radionecrose. Portanto, faz-se necessário que sejam feitas verificações de serviços de hemodinâmica, levando em conta seus aspectos tecnológicos, a padronização de técnicas e o controle de qualidade. O curso irá abordar ações avançadas em segurança radiológica, de modo que os procedimentos realizados nos Laboratório de Hemodinâmica sejam realizados sem colocar em risco a integridade dos pacientes e da equipe técnica”, explica o físico médico Rogério Fachel de Medeiros, especialista em Física do Radiodiagnóstico pela Associação Brasileira de Física Médica (ABFM) e coordenador do curso.

Os valores das inscrições variam entre R$ 170 (estudantes), R$ 250 (clientes PhyMED e associados da SBHCI) e R$ 320 (profissionais). As inscrições podem ser feitas até o dia 24 de novembro no site: https://www.phymed.com.br/fisica_medica/cursos/104/iv-curso-de-extensao-em-hemodinamica ou pelo e-mail rogerio@phymed.com.br.

Mais informações telefone/WhatsApp: 51 99191-7214 – Tel 51 3312-4265.

Sapra Landauer reúne cerca de 60 profissionais no II Encontro de Proteção Radiológica em SP

Segunda edição do evento foi realizado no último dia 29 de agosto, no Hotel Estanplaza Paulista

O II Encontro de Proteção Radiológica em Radiologia Intervencionista, realizado do Sapra Landauer no último dia 29 de agosto, em São Paulo, no Hotel Estanplaza Paulista, reuniu cerca de 60 profissionais da área de saúde, entre representantes de instituições de saúde, de ensino e também da área indústria.

O uso da radiação ionizante na saúde tem se intensificado nas últimas décadas, o que reforça a importância do debate sobre o controle de doses de dosimetria pessoal em radiologia intervencionista. Nesse sentido, a Sapra busca promover encontros entre seus parceiros, profissionais que atuam na área, incentivando assim a troca de experiências, a atualização de conhecimento e a disseminação de informações técnicas qualificadas sobre métodos e processos relacionados à proteção radiológica.

Nesta segunda edição do Encontro de Proteção Radiológica em Radiologia Intervencionista, a primeira palestra foi ministrada pela física Yvone Maria Mascarenhas, diretora-presidente da Sapra Landauer, que falou aos presentes sobre os desafios do controle de doses de dosimetria pessoal, abordando aspectos de prevenção e análise de dose a partir da dosimetria passiva dos profissionais. 

A diretora-presidente da Sapra é graduada em Física pela USP, tem mestrado, doutorado e pós-doutorado pelo Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC) da USP, com pesquisas sobre radiologia e dosimetria. Atuou como coordenadora de projetos de pesquisa financiados por agências como CNPq e FAPESP e tem ampla experiência na área de Física, atuando principalmente em proteção radiológica, produção raios-x, radiodiagnóstico, algebraic model e dosimetria.

Segundo ela, as possibilidades na radiologia intervencionista cresceram muito e é fundamental que os profissionais da saúde tenham noção das doses de radiação ionizante a que são expostas mensalmente durante sua jornada de trabalho.

Dessa forma, a física ratificou a importância da realização de treinamentos de proteção radiológica, estabelecimento de procedimentos, incluindo posicionamento e uso de EPI’s nas salas de radiologia intervencionista, bem como a avaliação apropriada das doses mensais a que os profissionais ocupacionalmente expostos estão sujeitos.

Na segunda palestra da tarde, a física Lucía Canevaro abordou a superação de desafios em radiologia intervencionista, abordando propostas de otimização da proteção radiológica. Lucìa Canevaro é pesquisadora no Instituto de Radioproteção e Dosimetria da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e especialista em aplicações das técnicas fluoroscópicas em radiologia diagnóstica e intervencionista e colaboradora da Agência Internacional de Energia Atômica em temas relacionados à física médica.

A física médica destacou que muitos profissionais que utilizam radiação demonstram falta de consciência sobre os efeitos da radiação e sobre como se proteger. Para ela, o grande desafio é criar uma cultura de proteção radiológica junto aos profissionais, promovendo o diálogo com argumentos concretos, a exemplo do que a Sapra Landauer vem realizando nos seus encontros técnicos.

Ao final das apresentações, as palestrantes responderam perguntas dos presentes.

Os participantes também puderam opinar sobre o evento da Sapra Landauer respondendo um formulário, no qual eles se declararam satisfeitos com o encontro técnico e com as palestras, com a relevância do debate e a profundidade da abordagem do tema.

Encontro Técnico de Proteção Radiológica em Radiologia Intervencionista reúne cerca de 80 profissionais em SP

Evento que promoveu a atualização de informações e troca de experiências em proteção radiológica foi realizado pela Sapra Landauer, em 22 de agosto.

Clique aqui para fazer o download da apresentação da física Rochelle Lykawka sobre “Matriz de risco em aplicações de radiações ionizantes em centros cirúrgicos”.

Cerca de 80 profissionais participaram do Encontro Técnico de Proteção Radiológica em Radiologia Intervencionista, realizado pela Sapra Landauer, no último dia 22 de agosto, no Hotel Estanplaza Paulista, em São Paulo. Representantes de instituições de saúde, entre hospitais e clínicas, de instituições de ensino e da indústria acompanharam duas palestras que focaram o controle de doses em radiologia intervencionista.


A primeira palestra do encontro foi ministrada pela física e diretora-presidente da Sapra Landauer, Yvone Maria Mascarenhas, cujo tema foi “A importância e desafios do controle de doses de dosimetria pessoal em radiologia intervencionista”. Graduada em Física pela USP, com mestrado, doutorado e pós-doutorado pelo Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC), da USP, com pesquisas sobre radiologia e dosimetria, Yvone Mascarenhas tem experiência na área de Física, com ênfase em Radiologia e Dosimetria, atuando principalmente em proteção radiológica, produção raios-x, radiodiagnóstico, algebraic model e dosimetria. Ela atua como coordenadora de projetos de pesquisa financiados por agências como CNPq e FAPESP.
Com base em relatórios de doses analisados na Sapra Landauer, de 2013 a 2017, Yvone apontou um aumento significativo das doses de radiação ionizantes a que são expostos os profissionais que atuam na medicina intervencionista e chamou a atenção para o desafio de entender a prática e melhorar a cultura de proteção radiológica das instituições que disponibilizam esses serviços de saúde.
Para contextualizar a necessidade de mudança de atitude de profissionais e instituições, a física mencionou algumas situações alarmantes no processo de análise dos relatórios. Ela apontou, por exemplo, a dose máxima acumulada por um mesmo indivíduo no período de um ano: 93,5 mSv em 2013, com sucessivos aumentos nos anos seguintes, até chegar a 666 mSv em 2017.
“Este é apenas um exemplo. E há casos em que o profissional é consciente de que está sendo exposto a doses elevadas, mas evita usar o dosímetro justamente para que isso não seja constatado e ele tenha que reduzir o número de procedimentos que executa”, revela Yvone que defendeu, durante sua explanação, mudanças de atitude importantes visando a minimização de doses, entre elas a orientação do posicionamento do profissional, a otimização do uso de blindagem e a redução do tempo de exposição. “Além destas medidas, a dosimetria realizada com equipamentos como o i3 da RaySafe, que garante feedback da dose em tempo real, também pode apoiar nessa mudança de atitude”, acrescenta a diretora-presidente da Sapra Landauer.
Yvone também falou do desafio da cultura de proteção radiológica de pacientes, principalmente na pediatria, destacando as ações do Latin Safe, uma aliança latino-americana dedicada à defesa da redução e otimização de doses de radiação na América Latina, criada e 2015.
Matriz de risco
Com experiência profissional de 18 anos na área de radiodiagnóstico, a física Rochelle Lykawka enriqueceu o debate no encontro técnico da Sapra abordando o uso da fluoroscopia, que são os arcos cirúrgicos ou angiógrafos, em bloco cirúrgico e o risco associado em função da emissão de radiação não reconhecida pelos profissionais envolvidos.

A física, que atua hoje nas áreas de controle de qualidade, proteção radiológica e dosimetria em radiologia intervencionista no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (RS), relatou um pouco da sua realidade aos presentes no encontro, Ela apresentou aspectos de segurança, quantificando e caracterizando a exposição dos trabalhadores à radiação através do uso de dosímetro individual e de dosímetro eletrônico. Este último, utilizado no HC de Porto Alegre, permite a leitura em tempo real.

“É incontestável o crescimento do uso de radiação dentro do arco cirúrgico. Por isso, é justo pensar, organizar e visualizar esse risco através de uma matriz. É a forma que temos que ordenar e melhorar nosso plano de ação”, defende dra. Rochelle, ressaltando a importância de se definir o que é área livre e área controlada dentro das instituições de saúde. “As áreas controladas devem ser reconhecidas pelas equipes de profissionais que trabalham em cada ambiente, devendo estes fazerem uso de dosímetro para controle de dose, enquanto permanecerem em área controlada”, afirmou.

Dra. Rochelle também mencionou a atuação de enfermeiros, fornecedores, técnicos em radiologia e médicos nos centros cirúrgicos, como profissionais ocupacionalmente expostos, e, entre os médicos, destacou a exposição a que são submetidos os cirurgiões vasculares, cardiovasculares, anestesistas, cirurgiões torácicos, ortopedistas e urologias.
“O profissional que atua na área de intervenção tem que estar na sala e permanecer próximo ao feixe primário, e por isso precisa fazer uso de equipamento de proteção individual. O dosímetro eletrônico também é um importante aliado. Mas, pasmem, ainda encontramos, em muitas instituições, profissionais que não usam o dosímetro dentro do centro cirúrgico. Eles têm consciência que precisa fazer uso dessa proteção, mas por conta das intercorrências do dia a dia, muitas vezes, acabam não usando”, afirmou, durante a palestra.

Ela mencionou as normas e regulamentações da Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e Ministério do Trabalho, que tratam das diretrizes de proteção radiológica.

“Temos que ir além dos testes nos equipamentos e insumos na medicina intervencionista. Temos que fazer com que as pessoas que estão envolvidas no processo entendam a importância da proteção radiológica”, destacou Dra. Rochelle.

Ao final das explanações, as palestrantes ainda responderam perguntas dos presentes.

Quem participou do Encontro Técnico de Proteção Radiológica nas Áreas Médica e Industrial – Radiologia Intervencionista, além de acompanhar as palestras, também teve mais uma oportunidade de conhecer melhor e tirar dúvidas sobre o GPR Online, um gerenciador de proteção radiológica oferecido aos clientes e parceiros da Sapra Landauer. Através do sistema, é possível, pela internet, consultar os relatórios de doses mensais, acessíveis assim que analisados e gerados na base de dados da Sapra Landauer; consultar o movimento de envio e recebimento dos monitores a partir da base de dados da Sapra, e efetuar alterações, inclusões e exclusões de usuários e transferências entre instituições afiliadas, entre outros serviços.

Os parceiros da Sapra que acompanharam o evento elogiaram a iniciativa, classificando o encontro técnico como importante instrumento de atualização de informações e troca de experiências em proteção radiológica.

Palestra: O desafio da dosimetria na radiologia intervencionista é destaque em evento da Sapra

Yvone Maria Mascarenhas, física e diretora-presidente da Sapra Landauer, será uma das palestrantes do Encontro Técnico de Proteção Radiológica em Radiologia Intervencionista, em São Paulo

Os equipamentos para uso em medicina intervencionista foram sendo aprimorados nos últimos anos e garantiram incontestáveis benefícios aos tratamentos médicos. No entanto, o que se constata é um aumento significativo das doses de radiação ionizantes a que são expostos os profissionais que atuam no setor.
A questão da dosimetria na radiologia intervencionista será o foco principal da palestra que será ministrada pela física e diretora-presidente da Sapra Landauer, Yvone Maria Mascarenhas, no próximo dia 22 de agosto, em São Paulo, em mais um Encontro Técnico de Proteção Radiológica, promovido pela Sapra Landauer.

Yvone Mascarenhas é graduada em Física pela USP, com mestrado, doutorado e pós-doutorado pelo Instituto de Física e Química de São Carlos (IFQSC), da USP, com pesquisas sobre radiologia e dosimetria. Tem mestrado pela Universidade de Yale, New Haven, e realizou projeto de pesquisa “sandwich” no Argonne National Lab e MBA na FEA – USP, em Ribeirão Preto. Atuou como coordenadora de projetos de pesquisa financiados por agências como CNPq e FAPESP. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Radiologia e Dosimetria, atuando principalmente nos seguintes temas: proteção radiológica, produção raios-x, radiodiagnóstico, algebraic model e dosimetria.

De acordo com a física, na sua palestra serão apresentados dados analisados pelos profissionais da Sapra Landauer, ao longo de 5 anos, de 2013 a 2017.
“Enquanto há 10, 15 anos só se pensava em Cardiologia quando se falava em radiologia intervencionista, hoje essa área envolve muitas outras especialidades, como por exemplo neurologia, gastroenterologia, urologia, entre outros. São realizados procedimentos de intervencionismo que, em geral, têm longa duração, criticalidade dos procedimentos e alto nível de taxa de radiação espalhada”, avalia ela, apontando como principal desafio entender a prática e melhorar a cultura de proteção radiológica das instituições que disponibilizam esses serviços de saúde.

Para garantir a segurança dos trabalhadores desse setor, ela defende a realização de treinamentos de proteção radiológica, estabelecimento de procedimentos incluindo posicionamento e uso de EPI’s nas salas de radiologia intervencionista, bem como a avaliação apropriada das doses mensais a que os profissionais ocupacionalmente expostos estão sujeitos.
“O fato é que o número de setores cresceu, porque cresceram as possibilidades na radiologia intervencionista. E, neste sentido, a dosimetria pessoal surge como um importante instrumento para que as pessoas tenham noção das doses de radiação ionizante a que são expostas mensalmente durante sua jornada de trabalho. Se os profissionais tiverem a cultura do uso correto dos dosímetros pessoais e do posicionamento correto no trabalho, o que vamos observar será a redução de dose”, conclui.
Além da palestra de Yvone Mascarenhas, os participantes do evento da Sapra Landauer em São Paulo acompanharão a palestra da física Rochelle Lykawka, que atua há 18 anos na área de radiodiagnóstico, e tratará de matriz de risco em aplicações de radiações ionizantes em centros cirúrgicos.
O evento será no Hotel Estanplaza Paulista, das 14 às 17 horas. As inscrições foram realizadas pela internet, no site da Sapra e, devido à grande procura, já estão esgotadas.

Palestra: Matriz de risco em aplicações de radiações ionizantes em centros cirúrgicos

Palestra abordará riscos da radiação em centros cirúrgicos e conscientização dos profissionais da saúde

A física Rochelle Lykawka atua no controle de qualidade, proteção radiológica e dosimetria em radiologia intervencionista no Hospital de Clínicas de Porto Alegre  

Os riscos associados ao uso da radiação em centros cirúrgicos serão abordados na palestra que será ministrada pela física Rochelle Lykawka, durante o Encontro Técnico de Proteção Radiológica nas Áreas Médica e Industrial – Radiologia Intervencionista, que será realizado pela Sapra Landauer, no próximo dia 22 de agosto, em São Paulo.

Clique aqui para fazer o download da apresentação da física Rochelle Lykawka sobre “Matriz de risco em aplicações de radiações ionizantes em centros cirúrgicos”.

Com experiência profissional de 18 anos na área de radiodiagnóstico, Rochelle Lykawka atua hoje nas áreas de controle de qualidade, proteção radiológica e dosimetria em radiologia intervencionista no Hospital de Clínicas de Porto Alegre (RS).

A física deve destacar em sua abordagem, entre outras técnicas, o uso da fluoroscopia (arco cirúrgico ou angiógrafo) em bloco cirúrgico e o risco associado em função da emissão de radiação X não reconhecido nem pelas organizações que fazem a fiscalização e licenciamento destes estabelecimentos de saúde e nem pelas equipes que deles fazem uso.

“Temos hoje os sistemas tipo arco cirúrgico, raios X móvel e as salas híbridas (angiógrafos) que emitem radiação e não têm risco reconhecido. Por isso, durante a palestra, vamos abordar estes aspectos de segurança, quantificando e caracterizando a exposição destes trabalhadores à radiação através do uso de dosímetro individual, bem como de dosímetro eletrônico, que permite a leitura em tempo real e possibilita determinar a matriz de risco a que estão expostos estes profissionais”, afirma ela.

Dra. Rochelle alerta que a exposição à radiação nos centros cirúrgicos pode ser equivalente a que é exposto o profissional da hemodinâmica em intervenções cardiovasculares, cujo risco é comprovadamente alto conforme publicações e ações internacionais. “Existem estudos que relatam o alto risco de exposição à radiação a que estão submetidos os profissionais de cardiologia intervencionista, a ponto das recomendações internacionais já terem sido alteradas na busca de reduzir tal risco”, acrescenta.

Na opinião da física, é preciso trabalhar essa questão no processo de formação educacional dos profissionais. Ela também aponta a importância do olhar do profissional de proteção radiológica dos estabelecimentos de saúde com relação às suas equipes e ambientes dos centros cirúrgicos, desde a classificação das áreas que fazem uso dos sistemas de fluoroscopia – mesmo móveis como o arco cirúrgico, até o dimensionamento de dosimetria individual e uso de equipamentos de proteção individual quando assim julgarem necessário.

TEMPO REAL

Dra. Rochelle ressalta que o uso do dosímetro individual pelos indivíduos ocupacionalmente expostos é uma exigência legal e afirma que o uso do dosímetro eletrônico em tempo real vem se mostrando também um importante instrumento de avaliação do risco.

Com o equipamento, é possível observar a exposição a que médicos e funcionários estão sendo submetidos em tempo real, em um monitor disposto dentro da sala de procedimentos. Com auxílio de um sistema de sinaleira, o dosímetro eletrônico torna a exposição à radiação algo “visível”, de forma a ajustar o comportamento e minimizar a exposição desnecessária à radiação.

“Uma função importante deste dosímetro em tempo real é a educação e conscientização dos profissionais. Ele possui um display que aponta de forma bem clara e rápida o nível de exposição de cada um, no momento do procedimento. Assim possibilita a mudança de posicionamento dentro da sala”, explica ela. ”Os profissionais da nossa instituição portam sempre o dosímetro individual. Além deste, periodicamente nós utilizamos também o dosímetro em tempo real para fins de capacitação inicial e de reciclagem em proteção radiológica.”, salienta, completando que o dosímetro eletrônico, além do auxílio para educação e otimização em proteção radiológica, permite a elaboração da matriz de risco de exposição à radiação ionizante dos profissionais da equipe cirúrgica – estimando a exposição de cada profissional em sala de procedimento.

“Tivemos uma publicação recente que fez uso do dosímetro eletrônico para definir as curvas de isodose das equipes de urologia no centro cirúrgico de nossa instituição. Foi possível validar que os níveis de exposição à radiação aos quais estes profissionais são submetidos é bastante significativa. Porém, estas equipes, na grande maioria dos centros cirúrgicos no Brasil, não são monitoradas individualmente.”, adverte.

O Encontro Técnico de Proteção Radiológica nas Áreas Médica e Industrial será realizado dia 22 de agosto, das 14 às 17 horas, no Hotel Estanplaza Paulista, na capital paulista. As vagas são limitadas e as inscrições gratuitas, podendo ser feitas pela internet, por meio do site da Sapra Landauer.

“Sapra é referência em tecnologia e novas aplicações”, diz representante da GE Healthcare

Janete Chaves, gerente de HSE da GE Healthcare na América Latina, compareceu ao Encontro Técnico de Proteção Radiológica nas Áreas Médica e Industrial realizado pela Sapra Landauer

A GE Healthcare, parceira da Sapra Landauer do setor industrial, também esteve presente no Encontro Técnico de Proteção Radiológica nas Áreas Médica e Industrial realizado em São Paulo, no último dia 15 de março, representada por sua líder de HSE/EHS na América Latina, Janete Chaves, que é responsável pelo setor de saúde ocupacional da empresa.

Atuando no desenvolvimento de produtos e com ampla experiência em tecnologias de informação e imagens médicas, diagnóstico, sistemas de monitoramento de pacientes, melhoria de desempenho e soluções em serviços, entre outros, a GE Healthcare fornece serviços médicos transformacionais e mantém parceria com a Sapra Landauer na área de proteção radiológica

“A Sapra é um parceiro de muitos anos e uma referência para a GE em termos de tecnologia e novas aplicações”, afirma ela, destacando o encontro técnico como uma possibilidade de troca de experiências e de acesso a informações sobre novas tecnologias e métodos utilizados no setor de dosimetria e proteção radiológica.

“Enquanto cliente da Sapra, é uma oportunidade saber o que o mercado está procurando nessa área de redução de doses e proteção radiológica, com o que se trabalha hoje e como a GE Healthcare pode prover a mesma segurança para os seus funcionários. “Esse tipo de evento é muito importante e deveria ocorrer com mais frequência pela troca e pela qualidade de informação que recebemos aqui”, avaliou.

A Líder de EHS da GE Healthcare na América Latina afirma também que a empresa, em termos de tecnologia, busca cada vez mais desenvolver produtos que registrem o menor nível de emissão de radiação possível sem perder a qualidade da imagem.

No caso da segurança dos funcionários da GE, segundo ela, ‘’a empresa busca oferecer sempre a melhor tecnologia, no caso o sistema OSL, da Sapra, e mostrar ao nosso colaborador que estamos sempre em busca de novas ferramentas para apoiar, dar segurança e transparência na identificação desse risco”.

A representante da GE Healthcare concluiu dizendo que faz parte da filosofia da empresa e do processo de desenvolvimento de seus produtos oferecer a melhor qualidade de imagem, com a mais definição, para propiciar ao médico um diagnóstico rápido e assertivo, com menor dose.